sexta-feira, junho 20

Em memória de Joaquim Agostinho


Jean Metzinger «Au Vélodrome» 1912
(collage et huile sur toile)
Collection Peggy Guggenheim, Venise


Em memória de Joaquim Agostinho

foste como a brisa num perfume
de rosas
nessa tua fúnebre canção
inesperada

caminhavas sobre duas montanhas
de aço rolante
como o sol ou a ternura que desliza
pela cilada dos caminhos.

amava-te como Buda ou são cristóvão
quando percorrias os caminhos
vestido
de pássaro voador **** e chegavas
sempre com a tua camisa enlameada
de rosas e espinhos.

mas um dia partiste como o silêncio
da noite
sem despedida nem adeus
montado em duas rodas de bruma
e as mãos da morte colheram-te
no teu regaço
como um automóvel esmaga as pobres
violetas.

e ficaste ****** amigo ****** para sempre
sepultado no caminho
da nossa eterna desventura.

(J.H. Borges Martins)

in «Salmo à Rainha de Sabá e Outros Poemas», 1977

Etiquetas: ,

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial